domingo, 30 de março de 2014

Contos de Charles Perrault

Estudamos em sala de aula acerca da diferenciação entre mito e lenda. Agora é a vez de vocês exercitarem um pouco do que aprenderam. Abaixo se encontra um site que servirá de norteador para a pesquisa de vocês. Boa sorte!

segunda-feira, 24 de março de 2014

Múmias do Egito

Assista o vídeo abaixo e faça um resumo descrevendo como ocorria o processo de mumificação no Egito Antigo (você pode responder no blog ou em seu caderno).
Para assistir click na imagem ou click AQUI.

terça-feira, 18 de março de 2014

Esses escravos devem morrer!

Após assistir a cena do filme Spartacus (1960) elabore um ensaio (máximo 3 laudas) explicando:
1- O que foi a Revolta de Spartacus (inclua em sua escrita o contexto histórico no qual a revolta ocorreu).
2 - Por que os escravos foram punidos daquela maneira?
Utilize para nortear a sua escrita os seguintes textos:
ALFODY, Geza. A crise da República e a sociedade romana. In: _______. História Social de Roma. Lisboa: Editora Presença, 1989, p. 81-109
FINLEY, Moses. Escravidão e Humanidade. In: _______. Escravidão antiga e ideologia moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1991, p. 97-127.
Click na imagem ou click aqui: http://www.youtube.com/watch?v=w0cXyGVsUjs

domingo, 2 de março de 2014

Diário de Jack: Estranhamento Cultural

           Para iniciar o assunto Estranhamento Cultural (Sociologia) com o 1º ano do Ensino Médio (Colégio São Jorge/2014) planejei me vestir de indiana para que os alunos estranhassem o fato de estar caracterizada com elementos de outra cultura. No início temi que eles nada estranhassem, porque a cultura indiana já foi tema de novelas e seriados, temos lojas de moda indiana em Ilhéus e em Itabuna, além da realização de trabalhos que a escola promove (onde incentiva a pesquisar e apresentar também acerca da cultura indiana).
          Tudo foi além de minha expectativa. Ao atravessar o pátio da escola vestida já com a indumentária indiana, os alunos de outras turmas ficaram curiosos e agitados. Tive dificuldades para entrar na sala do 1º ano e de fazê-los se aquietar, pois alguns estavam eufóricos e outros curiosos. Mas ninguém estava indiferente a situação, pois todos estranharam o fato de estar vestida daquela maneira. Depois de entrar em sala de aula e cumprimentá-los com um "namastê", trabalhamos o assunto com base nas reações da turma e fizemos comparações com a sociedade. O meu objetivo foi fazê-los sentir o estranhamento cultural para que pudessem assimilar melhor o conceito. Acho que deu certo.